Nietzsche e o “relativismo linguístico” no século XIX | Estudos Nietzsche
Número Atual
Sobre a Revista
Corpo Editorial
Números Disponíveis
Busca
Índice
Submissão de Artigos
Avisar por e-mail
Instruções para autores

Licenciado sob uma
Licença Creative Commons

Patrocínio

 

Nietzsche e o “relativismo linguístico” no século XIX | Nietzsche e o “relativismo linguístico” no século XIX | Estudos Nietzsche

v. 5 n. 2 Jul./Dez. 2014 

DOI: 10.7213/estudosnietzsche.05.002.AO02
 
  Nietzsche e o “relativismo linguístico” no século XIX

Nietzsche and the “linguistic relativism” in XIX century

 Joseane Mara Prezotto 1
Rodrigo Francisco Barbosa 2
 
Resumo

No presente trabalho analisamos a possibilidade de assumir a hipótese segundo a qual haveria indícios da noção geral do “relativismo linguístico” no pensamento de Nietzsche. Essa atribuição do pensamento de Nietzsche ao “relativismo linguístico” implica discutir de maneira específica o conhecimento e os embates do filósofo no quadro de discussão dessa tradição alemã de estudos sobre a linguagem do qual Humboldt é um dos autores centrais. Num exercício de rastreamento de ocorrências de nomes dessa tradição e simplicidade interpretativa, mobilizamos dois argumentos específicos para tentar legitimar essas intuições: primeiro analisamos uma possível concepção de tradução de Nietzsche que parece ser um enquadramento às teses de Schleimacher e Humboldt e, segundo, analisamos algumas passagens de obras publicadas de Nietzsche nas quais a tese do “relativismo linguístico” é esboçada quase que categoricamente. Portanto, mais do que realizar uma análise comparativa entre o pensamento de Nietzsche e Humboldt e alguma demarcada influência, o esforço argumentativo que se segue é uma tentativa de colocar em pauta determinados aspectos mais pontuais no tratamento que Nietzsche confere ao tema da linguagem.

Palavras-chave : Nietzsche. Linguagem. Relativismo linguístico. Tradução. Humboldt.
 
Abstract

In this work we analyze the possibility of assuming the hypothesis that there is evidence of a general notion of “linguistic relativism” in Nietzsche’s thought. This assignment of Nietzsche’s thought to the “linguistic relativism” implies specifically discussion about the knowledge the philosopher hat and his dialogues with this German tradition of studies on language which founds in Humboldt one of his main authors. In an exercise of tracking current names connected to this tradition and not overcomplicating the path, we mobilized two specific arguments to try to legitimize these intuitions: first we analyzed a possible conception of translation in Nietzsche that seems to be a framework to Schleimacher and Humboldt theses, and second, we analyze some published passages of Nietzsche in which the thesis of “linguistic relativism” is outlined almost categorically. Therefore, rather than conducting a comparative analysis between the thought of Nietzsche and Humboldt and point to some marked influence, the argumentative effort we have done follows is an attempt to put on the agenda certain more specific aspects of the treatment Nietzsche gives the theme of language.

Keywords : Nietzsche. Language. Linguistic relativism. Translation. Humboldt.

 

1 Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, PR, Brasil, e-mail: e-mail: joseane.prezotto@gmail.com
2 Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Curitiba, PR, Brasil, e-mail: semcentro@gmail.com


Recebido em 12/02/2014; Aceito em 28/04/2014.
Received in ; Accepted in .
[pdf]

 

OAI-ID: oai:estudosnietzsche.pucpr.br:article/15308
link: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/ESTUDOSNIETZSCHE?dd1=15308&dd99=view