Estudos Nietzsche
Número Atual
Sobre a Revista
Corpo Editorial
Números Disponíveis
Busca
Índice
Submissão de Artigos
Avisar por e-mail
Instruções para autores

Licenciado sob uma
Licença Creative Commons

Patrocínio

 
INSTRUÇÕES PARA OS AUTORES

CARACTERIZAÇÃO GERAL
A Estudos Nietzsche é uma revista temática que publica semestralmente artigos, resenhas e traduções relacionados ao pensamento do filósofo alemão Friedrich W. Nietzsche.

TÓPICOS A SEREM OBSERVADOS PARA A SUBMISSÃO DE ARTIGOS
a) A submissão de artigos, resenhas ou traduções deve ser feita por meio do link “Submissão de artigos” que se encontra na página de rosto da Revista.
b) Os artigos devem ser inéditos e não podem ter sido submetidos para avaliação simultânea em outros periódicos.
c) Afirmações, opiniões e conceitos expressados nos artigos são de responsabilidade dos autores.
d) Todos os artigos serão submetidos à Comissão Editorial da revista, e avaliados por meio do sistema “Double blind peer review”.
e) No final dos trabalhos deverá constar o endereço completo, afiliação, telefone e e-mail, para encaminhamento de correspondência pela Comissão Editorial.

APRESENTAÇÃO DOS ORIGINAIS
Os originais de artigos, resenhas ou traduções devem apresentados como arquivo *.doc ou *.rft, em Times New Roman, tamanho 12, espaçamento entre linhas de 1,5, formato A4, sendo recomendado que não ultrapasse 30 páginas para os artigos e traduções e 10 páginas para as resenhas, incluindo as referências. As ilustrações, (figuras, gráficos, etc...) devem ser limitadas ao mínimo indispensável (observando que o título também deverá ser indicado no texto onde a ilustração será inserida), identificadas, e numeradas consecutivamente em algarismos arábicos. As imagens digitalizadas devem ser enviadas cada uma em arquivo separado, com extensão .jpg ou .tif e resolução mínima de 300 dpi. Os quadros e tabelas devem ser limitados ao mínimo indispensável e enviados separadamente do texto (observando que o título também deve ser indicado no texto onde o quadro/tabela será inserido), identificados e numerados consecutivamente em algarismos arábicos. As notas de rodapé são indicadas por números arábicos e restritas ao mínimo indispensável.

ESTRUTURA DOS ORIGINAIS No preparo do original, deve ser observada a seguinte estrutura:

CABEÇALHO Título do artigo (LETRAS MAIÚSCULAS, em negrito, fonte Times New Roman, tamanho 12, parágrafo centralizado). Subtítulo em letras minúsculas (somente a primeira letra do subtítulo em maiúscula, as demais palavras em letras minúsculas [exceção para nome próprio ou para termos em outro idioma que seguem um padrão específico], em itálico, fonte Times New Roman, tamanho 12, parágrafo centralizado).

O título deve conter no máximo 12 palavras, sendo suficientemente específico e descritivo. Nome do(s) autore(s), deve(m) estar abaixo do título e apresentar: Afiliação institucional/ vínculo, Cidade, Estado, País e e-mail.

RESUMO E ABSTRACT
O resumo é a apresentação sintetizada dos pontos principais do texto, destacando as considerações emitidas pelo autor, com uso de no mínimo 100 e no máximo 250 palavras. O correspondente abstract deve ser compatível com o texto do resumo. Palavras-chave no idioma original e suas correspondentes Keywords em inglês: são descritores, que identificam o conteúdo do artigo.

O número de descritores é de no mínimo três e de no máximo cinco e devem estar separadas com pontos. O CORPO DO TEXTO Os textos aceitos pela Revista Estudos Nietzsche se enquadram nas categorias de artigos, resenhas ou traduções. Os artigos podem ser relatos de pesquisa, estudos teóricos e revisões críticas da literatura, todos afeitos à área da filosofia nietzscheana e contendo, via de regra: Introdução: Composta de um texto conciso contendo o propósito do estudo e eventuais avanços alcançados com a pesquisa. Relatos de pesquisa devem se utilizar da introdução para apresentar a contextualização do problema por meio de revisão bibliográfica. A introdução não deve incluir dados ou conclusões do trabalho em questão. Desenvolvimento: Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método. Relatos de pesquisa devem necessariamente apresentar o problema de pesquisa, a metodologia empregada e a discussão dos resultados. Estudos teóricos e revisões críticas da literatura devem utilizar a seção desenvolvimento para as citações e análises do referencial teórico/bibliográfico. Considerações finais: Devem limitar-se ao propósito das análises realizadas, relacionando-as ao conhecimento já existente.

Utilizar citações somente quando forem indispensáveis para embasar o estudo. Agradecimentos: Quando pertinentes, devem ser sintéticos e concisos. Referências: Somente as citações que figuram no texto devem ser referenciadas. Trabalhos aceitos em fase de publicação devem ser citados acompanhados da expressão “forthcoming”, dados não publicados devem vir acompanhados da expressão “unpublished manuscript”; neste caso, uma carta do autor deve ser fornecida. As referências no final do trabalho devem ser organizadas e apresentadas em ordem alfabética de acordo com o sobrenome do primeiro autor.

Para elaboração das referências deve ser observada a norma NBR 6023 da ABNT, ago. 2002. CITAÇÕES As referências devem ser citadas no texto pelo sistema

AUTOR (data)
conforme a ABNT 10520 ago. 2002.
Exemplo:

• Quando os autores fazem parte do texto:
Segundo Freitas (2002); dois autores, exemplo: De acordo com Junqueira e Souza (2002);

mais de três autores, exemplo: Para Prado et al. (2002).

• Quando os autores não fazem parte do texto: Com o advento da invenção dos tipos móveis por Gutemberg, a informação popularizou-se. (BUFREN, 1997).

• Citação de citação: Para Matos (1990, p. 12) apud Bill (1998, p. 52). *Importante: Deve-se evitar ao máximo este último modelo de citação de citação. As citações com até 3 linhas devem estar dentro do texto entre aspas duplas; As citações com mais de 3 linhas devem estar com recuo de 4 cm da margem esquerda em fonte tamanho 10, espaçamento simples. CITAÇÕES DAS OBRAS DE NIETZSCHE Para citações dos textos Nietzsche deverão ser utilizadas as siglas conforme a lista abaixo:

Obras de Nietzsche
NT - O nascimento da tragédia
CE - Considerações extemporâneas
DS - David Strauss o confessor e o escritor
HV - Da utilidade e desvantagem da história para a vida
SE - Schopenhauer como educador
WB - Richard Wagner em Bayreuth
HH I - Humano, demasiado humano I
HH II - Humano, demasiado humano II
OS - Miscelânea de opiniões e sentenças
AS - O andarilho e sua sombra
A - Aurora
GC - A gaia ciência
ZA - Assim falou Zaratustra
BM - Além de Bem e Mal
GM - Para a genealogia da moral
CW - O caso Wagner
CI - Crepúsculo dos ídolos
NW - Nietzsche contra Wagner
EH - Ecce homo
AC - O Anticristo
DD - Ditirambos de Dioniso

Opúsculos e outros textos inacabados ou inéditos
DM - O drama musical grego
ITS - Introdução à tragédia de Sófocles
ST - Sócrates e a tragédia
VD - A visão dionisíaca de mundo
NP - O nascimento do pensamento trágico
OF - Origem e finalidade da tragédia
ST - Sócrates e a tragédia grega
IE - Sobre o futuro de nossas instituições de ensino
CP - Cinco prefácios para cinco livros não escritos
AN - Uma palavra de ano novo ao editor do semanário “no novo Reich”
FT - A Filosofia na idade trágica dos gregos
VM - Sobre verdade e mentira no sentido extramoral
EA - Exortação aos alemães
IM - Idílios de Messina
BA - “Brincadeira, astúcia e vingança”
CP - Canções do príncipe Vogelfrei

• Tanto no caso das obras de Nietzsche quanto dos opúsculos, após as siglas, segue-se o nome da parte da obra, quando for o caso, ou o seu número em algarismos romanos e o número do aforismo, seção ou parágrafo, conforme a ocorrência, em algarismos arábicos, separados sem uso de vírgula. Por exemplo: (BM 36).

Fragmentos póstumos e anotações •As citações de fragmentos póstumos e anotações pessoais de Nietzsche serão feitas com a abreviatura [FP] Fragmento póstumo, seguida da indicação do ano e do número do fragmento. Por exemplo: (FP 1888 14[79]).

Correspondência de Nietzsche •Para as citações da correspondência de Nietzsche deve-se indicar a edição utilizada, o número do volume da KSB ou da KGB e o número da página. Exemplo: (KSB 8, p. 27). Recomenda-se que conste no corpo do texto o nome da pessoa para a qual a carta é endereçada e a data da correspondência.

NOTAS DE RODAPÉ As notas de rodapé devem ser explicativas complementando o assunto tratado, são localizadas na margem inferior da mesma página onde ocorre a chamada numérica recebida no texto. Esta chamada numérica deve ser em algarismos arábicos.

REFERÊNCIAS LIVRO DE UM SÓ AUTOR RICOEUR, Paul. Interpretação e ideologias. 4. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990.

LIVRO COM ATÉ TRÊS AUTORES CÉSAR, Constança Marcondes; ALMEIDA, Danilo Di Manno; DARTIGUES, André. Paul Ricoeur: ensaios. São Paulo: Paulus, 1998.

LIVRO COM MAIS DE TRÊS AUTORES O’HEAR, Anthony et al. Karl Popper: filosofia e problemas. São Paulo: EDUNESP, 1997.

CAPÍTULO DE LIVRO RORTY, Richard. Solidariedade ou objetividade? In: _____. Objetivismo, relativismo e verdade: escritos filosóficos I. Tradução de Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997. p. 37-54.

ARTIGOS DE REVISTA
CIRNE LIMA, Carlos R. V. Carta sobre a dialética, o que é dialética? Síntese Nova Fase, Belo Horizonte, v. 21, n. 67, p. 439-447, out./dez. 1994. ARTIGOS DE INTERNET SOUZA, Carlo E. Batista. Funcionalismo, evolução e relativismo no Übei Gewissheite de Wittgenstein. Abstracta: Linguagem, Mente, Ação, v. 1, n. 1, 2004. Disponível em: Acesso em: 23 maio. 2010.

DISSERTAÇÕES OU TESE DIAS, Elsa Oliveira. Teoria das psicoses em D. W. Winnicott. 1998. 220 f. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) – Pontifícia Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

EVENTOS CIENTÍFICOS CONGRESSO
SUL AMERICANO DE FILOSOFIA, 7., 2005. Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2005.

OBSERVAÇÕES • Revise cuidadosamente o trabalho quanto às normas solicitadas: verifique se todos os autores citados constam nas referências no final do trabalho e se as referências estão de acordo com a NBR 6023 ago. 2002.
• Fica a critério da revista a seleção dos artigos que deverão compor os fascículos, sem nenhuma obrigatoriedade de publicá-los, salvo os selecionados pelos pares.