II Jornada Interdisciplinar de Pesquisa em Teologia e Humanidades
article

II Jornada Interdisciplinar de Pesquisa em Teologia e Humanidades, v.2, n.1, 2012.

Diversidade religiosa: devemos respeitar


Rafaela Cristina Vicentin Zuca 1

Conteúdo Básico: Organização ReligiosaObjetivo (s): fazer com que os alunos conheçam os direitos garantidos a todos, pela Declaração Universal dos Direitos Humanos quanto ao livre culto de religião; e também a Constituição Federal do Brasil, que garante através da lei o livre culto religioso no país, sendo o Brasil um estado laico. Após, refletiremos sobre como podemos aceitar essas diferenças sem ferir aos nossos princípios religiosos, e também do próximo.Tempo estimado para apresentação: 2 aulas + 1 aula para apresentação dos trabalhos desenvolvidos posteriormente.Desenvolvimento/Metodologia: relato a experiência vivenciada com duas turmas de 5ª série, no ano de 2011, no Colégio Estadual de Paranavaí, no turno vespertino. Para iniciar o trabalho, falei do respeito que se deve ter com relação as diversas crenças religiosas, para depois seguir com a programação a ser trabalhada durante os dois anos de trabalho que se seguirão. Utilizei o dialogo para conhecer a turma, os alunos e saber quais religiões são professadas por cada um e pelas famílias. Trabalhei o vídeo sobre Direitos Humanos e Diversidade Religiosa com o objetivo de mostrar que existem inúmeras religiões, nos mais diversos lugares, que tudo o que pode ser “anormal” em nossa cultural, pode ser “normal” em outras, e vice versa. Tudo depende da cultura do lugar onde nasce e vive. O culto a religião é um direito de todos e está garantido pela nossa Constituição Federal, e pela Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que o Brasil é um pais laico, ou seja, não professa nenhuma religião, pois não queremos voltar a cometer os erros do passado, quando nossos antepassados obrigaram indígenas e negros a “abandonarem” suas crenças religiosas para professar o catolicismo, que no Brasil, o preconceito religioso é caracterizado como crime, com lei, e passível de punição, tornando-se o preconceito religioso algo sério dependendo da gravidade como é cometido.





1 Colégio Estadual de Paranavaí (N. Paranavaí) - email: rafavicentin@hotmail.com

Texto completo em PDF