IV Jornada Interdisciplinar de Pesquisa em Teologia e Humanidades
article

IV Jornada Interdisciplinar de Pesquisa em Teologia e Humanidades, v.2, n.2, 2013.

A RELIGIOSIDADE DA JUVENTUDE DO SÉCULO XX PARA A SOCIEDADE PÓS-MODERNA


ANGELA NATEL

Pelas transformações que se avolumam na atual conjuntura social, somos lançados a tentar compreender o que se passa com o ser humano e com seus sistemas simbólicos de subjetivação. Os referenciais de verdade, as chamadas metanarrativas (moral, religião, ética, estética, etc.) sofrem profundas transformações. Transformações no interior da sociedade sempre ocorreram desde que o homem existe, porém, a velocidade e a amplitude que essas transformações ocorrem é que causa embaraçamentos. A esse novo arvorecer da humanidade tende-se chamar Pós-Modernidade, e é sobre esse assunto que pretendemos debruçar. O termo pós-moderno que surge nos meados do século XX contempla não apenas assuntos das ciências humanas, mas também e com igual importância a arquitetura, a arte, o cinema, etc. O presente trabalho pretende refletir sobre a relação religiosa das juventudes, tendo em vista que a ruptura metafísica é um dos marcos distintivos dessa nova época. Pretendemos trabalhar com perguntas como: Como os jovens encaram a religião? Qual é a concepção de Deus para esses jovens? Acreditam em céu, inferno ou pecado? Qual foi a relação religiosa dos seus pais? Qual é a forma de relacionar-se com o sagrado que utilizam? Será que acreditam numa moral ou ética fora do âmbito religioso? Ao observarmos a religiosidade das juventudes e saber se a fé, a prática religiosa dessa nova geração mantém-se como seus pais ou se o universo pioneiro sofre fissuras ou reinterpretações, concluímos que, os universos religiosos tradicional encaram ressignificações pontuais nas práticas religiosas pelos mais novos.


Palavras-chave: Pós-modernidade. Religião. Juventude.





Texto completo em PDF