V Congresso ANPTECRE
article

V Congresso ANPTECRE, v.5, 2015.

A DIMENSÃO EVANGELIZADORA DO CURRÍCULO NAS ESCOLAS CONFESSIONAIS


Diogo Marangon Pessotto

No âmbito educacional, a relação entre educação e evangelização é considerada, por vezes, como contraditória ou até mesmo incompatível. Contudo, o processo educativo tem como finalidade potencializar os sujeitos em suas múltiplas dimensões e, neste caso, o currículo torna-se um dos meios de que se valem as instituições de ensino para desempenhar esta função. Neste sentido, as escolas confessionais, enquanto propagadoras de uma missão evangelizadora, reafirmam a necessidade de desenvolver um projeto educativo que privilegia essa dimensão, por meio do currículo. Este artigo tem como objetivo analisar as possíveis relações entre currículo e evangelização no contexto das instituições confessionais tomando como ponto de partida a análise dos dois conceitos em questão considerando possibilidades para o desenvolvimento de uma educação-evangelizadora. O estudo, exploratório, de abordagem qualitativa, tem como base a pesquisa documental e bibliográfica. Aborda-se o currículo como um sistema articulador de saberes e um espaço de aprendizagem decorrente das opções assumidas pelas instituições e que expressa, também, a orientação das políticas e práticas educativas da escola. Dentre os referenciais para esta conceituação temos Moreira (1993; 2012; 2014) e Silva (2000; 2011). Por conseguinte, o currículo explicita o jeito de educar que, nas escolas católicas, propõe sua ressignificação à luz do Evangelho: daí a possível relação dialética entre currículo e evangelização. Por evangelização entendemos a missão global da Igreja que, fiel ao projeto de Cristo, empenha-se incansavelmente na promoção do Reino de Deus, tornando-se presente entre as pessoas e as culturas de maneira significativa, a fim de promovê-las em dignidade, à luz da fé. Desse modo, os valores do Evangelho passam a permear as culturas e sociedades, na direção de um desenvolvimento humano integral e da promoção do Reino de Deus, como afirmam os Papas Paulo VI e Francisco e o Documento Conclusivo da V Conferência do Episcopado Latino-Americano e Caribenho, realizada em Aparecida. Sendo assim, a educação-evangelizadora considera o currículo (e a escola) como “lugares” de articulação, adesão e vivência dos valores cristãos de modo a estabelecer uma relação harmônica e efetiva entre fé, cultura e vida. As matrizes curriculares adotadas nas escolas maristas do Brasil, das quais uma finalidade é a de articular educação e evangelização, servem de referencial para a análise. A possibilidade de inculturação do Evangelho possibilita a relação educação/evangelização na medida em que o currículo evangelizador é aquele que estabelece o diálogo entre o Evangelho e a vida no contexto do processo de ensino-aprendizagem e dos valores humanos e cristãos.


Palavras-chave: Currículo; Educação; Evangelização





Texto completo em PDF