Archives of Oral Research
article

Archives of Oral Research, v.9, n.3, 2013.

Avaliação da alteração da pressão arterial em pacientes hipertensos controlados, submetidos a cirurgia bucal sob anestesia local com vasoconstritor


Leonardo Lucas Reinert 1
Eleonor Álvaro Garbin Junior 2
Bruno Marques Sbardelotto 3
Lauro Sirena Neto 4
Geraldo Luiz Griza 5

Objetivo: O objetivo deste trabalho foi verificar a oscilação da pressão arterial em pacientes hipertensos controlados, submetidos a procedimentos de exodontia, sob anestesia local com o uso de solução anestésica contendo ou não vasoconstritores tipo amina simpatomimética. Material e métodos: Os pacientes foram divididos em dois grupos denominados de Grupo I (G1) e Grupo II (G2). Os pacientes do Grupo I foram submetidos à anestesia local com o uso de solução anestésica de mepivacaína com adrenalina 1:100.000. A pressão arterial dos pacientes foi aferida antes do procedimento de anestesia, logo após o término do procedimento de anestesia e ao final do procedimento cirúrgico. Os pacientes do Grupo II foram submetidos à anestesia local com solução anestésica de mepivacaína sem vasoconstritor, sendo que a pressão arterial foi aferida seguindo a mesma padronização dos pacientes do Grupo I. As doses de solução anestésica empregadas para os pacientes de ambos os grupos foram restritas à dose máxima sugerida na literatura para pacientes hipertensos em estágio I, ou seja, 4 ml de solução anestésica. Resultados: Os resultados mostraram que não houve variação estatística de pressão arterial dos pacientes de ambos os grupos, sendo os valores do Grupo I e II próximos entre si, mostrando que o uso de anestésico com vasoconstritor não altera a pressão arterial dos pacientes. Conclusão: Foi possível constatar então que o uso de solução anestésica local de mepivacaína com e sem adrenalina, nas doses empregadas, não interferiram de forma significativa na pressão arterial dos pacientes com histórico de hipertensão controlada submetidos a procedimento cirúrgico bucal.


Palavras-chave: Anestésicos locais. Hipertensão arterial. Vasoconstritores. Pressão arterial.


Evaluation of the change in blood pressure in controlled hypertensive patients undergoing oral surgery under local anesthesia with vasoconstrictor


Objective: The objective of this study was to verify the oscillation in blood pressure in controlled hypertensive patients, who underwent extraction procedures under local anesthesia, using anesthetic with or without vasoconstrictor sympathomimetic amine type. Material and methods: The patients were divided into two main groups known as Group I (G1) and Group II (G2). Patients included in Group I underwent local anesthesia with the use of anesthetic mepivacaine with 1:100,000 epinephrine. The patients’ blood pressure was measured before the procedure of anesthesia, immediately after the procedure and at the end of the surgical procedure. Patients in Group II underwent anesthesia with anesthetic solution of mepivacaine without vasoconstrictor. The benchmarking procedure blood pressure of patients in this group was held following the aforementioned method of Group I. The doses of anesthetic used for patients of both groups were restricted to a maximum dose suggested in the literature for hypertensive patients in stage I, 4 ml. Results: The results showed that there was no statistical variation in blood pressure of patients in both groups, with values of Group I and II close together, showing that the use of anesthesia with vasoconstrictor does not alter the blood pressure of patients. Conclusion: It can be seen then that the use of local anesthetic with and without epinephrine mepivacaine in the used doses, does not significantly interfere in blood pressure in patients with controlled hypertension history who undergone oral surgery.


Keywords: Local anesthetics. Hypertension. Vasoconstriction. Blood pressure.

1 Cirurgião dentista e residente em cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial do Hospital Municipal São José, Joinville, SC,Brasil. E-mail: leonardoreinert@hotmail.com.
2 Professor adjunto da disciplina de Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.
3 Cirurgião dentista e residente em cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.
4 Cirurgião dentista e residente em cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.
5 Professor adjunto da disciplina de Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial da Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, PR, Brasil.

Texto completo em PDF