Fisioterapia em Movimento
article

Fisioterapia em Movimento, v.30, n.1, 2017.

Factors associated with mobility of the oldest old


Vanessa Ribeiro dos Santos
Diego Giulliano Destro Christofaro
Igor Conterato Gomes
Ismael Forte Freitas Júnior
Luís Alberto Gobbo

Introduction: Several factors can be associated to the reduction of mobility among the elderly. Early identification of these factors is crucial, since it may lead to prevention of functional dependencies. Objective:To analyze the association between mobility, sociodemographic factors and the prevalence of noncommunicable chronic diseases (NCDs) in oldest old. Methods: The sample consisted of 120 elderly persons aged (80 and 95 years), with 76 of them being women (83 ± 3 years) and 44 of them men (83 ± 3 years). Sociodemographic factors and NCDs which we studied were: age, gender, marital status, education, nutritional status, ethnicity, hypertension, diabetes and osteoarticular diseases. Mobility was analyzed using a battery of Physical Performance Tests. For statistical analysis we used the chi-square test and binary logistic regression to examine the relationship between sociodemographic factors, NCDs and mobility. SPSS (17.0) software was used for this and the significance level was set at 5%. Results: Level of education (p ≤ 0.001) and age (p = 0.034) are the two factors related to low mobility. However, the model built by multiple logistic regression analysis revealed that age is independently related to limited mobility in oldest old people (OR 3.29; 95% CI 1.09 to 9.87). Conclusion: Thus, oldest old >85 years are at a greater risk of decreased mobility independent of their education, marital and nutritional statuses and gender. We encourage further studies in this area. Studies which will not only address those facts considered in this study but that also examine family-related aspects, especially using longitudinal studies.


Palavras-chave: Mobility Limitation. Demographic Indicators. Chronic Disease. Aged 80 and over.


Fatores associados à mobilidade de idosos longevos


Introdução: A redução da mobilidade pode estar relacionada a vários fatores e a identificação precoce desses fatores torna-se fundamental, uma vez que pode auxiliar na prevenção da dependência funcional de idosos. Objetivo: analisar a relação entre mobilidade, fatores sociodemográficos e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) em idosos longevos. Métodos: A amostra foi constituída por 120 idosos com idade entre 80 e 95 anos (83 ± 3 anos), sendo 76 mulheres (83 ± 3 anos) e 44 homens (83 ± 3 anos). Os fatores sociodemográficos e DCNT investigados foram: idade, sexo, estado civil, escolaridade, etnia, estado nutricional, hipertensão, diabetes e doenças osteoarticulares. A mobilidade foi analisada por meio da bateria Physical Perfomance Tests. Para tratamento estatístico foram empregados os testes qui-quadrado e regressão logística binária para analisar a associação entre fatores sociodemográficos, DCNT e a mobilidade. O software utilizado foi o SPSS (17.0) e o nível de significância estabelecido foi de 5%. Resultados: Os fatores relacionados à baixa mobilidade foram a escolaridade (p ≤ 0,001) e idade (p = 0,034). Contudo, o modelo múltiplo construído pela análise de regressão logística revelou que a idade está independentemente relacionada à limitação da mobilidade em idosos longevos (OR 3,29; IC95% 1,09-9,87). Conclusão: Dessa forma, idosos longevos com idade >85 anos apresentam mais chance de risco para limitação da mobilidade independente da escolaridade, dos estados civil e nutricional, e do sexo. Incentiva-se a futuros estudos além de abordar os aspectos trabalhados no presente estudo, averiguar também aspectos familiares, e principalmente, em estudos longitudinais.


Keywords: Limitação da Mobilidade. Indicadores Demográficos. Doença Crônica. Idoso de 80 Anos ou mais.



Texto completo em PDF