Fisioterapia em Movimento
article

Fisioterapia em Movimento, v.30, n.1, 2017.

Functional capacity, independence and home affordances of premature children attending daycare centers


Marcela Tamiasso Vieira
Joselici da Silva
Jaqueline da Silva Frônio

Introduction: Child development is the result of the interaction between biological and environmental factors. Objective: The aim of this study is to evaluate and compare the Functional Capacity, Independence and Home Affordances Level of Stimulation of premature children between 18 and 42 months, attending or not daycare centers. Methods: Cross-sectional study with a convenience sample of 26 premature children between 18 and 42 months, paired and divided into two groups: attending (study group) and not attending daycare centers (control group). Data was collected from the questionnaires AHEMD-SR, PEDI and an identification questionnaire. Data analysis was performed by descriptive statistics, and Chi-square, Fisher, Mann-Whitney and Univariate Analysis tests, considering the level of significance of α = 0.05 and tendency of differentiation when α < 010. Results: There was a significant difference in the AHEMD-SR`s Variety of Stimulation (p = 0.036), higher in the control group, and tendency in the Gross Motor Toys (p = 0.086), more available in the study group. In PEDI, there was significant difference in Self-care (p = 0.045) and tendency of differentiation in Mobility (0.068), both of the Caregiver Assistance part (greater to the study). The sample showed low stimulation opportunities regarding Fine and Gross Motor Toys and high percentages of delay in Functional Skills (Mobility) and Independence (Self Care and Mobility), especially in the control group. Conclusion: Daycare centers seem to positively affect the Functional Capacity and Independence in premature children between 18 and 42 months.


Palavras-chave: Child Development. Premature. Environment. Child Day Care Centers.


Capacidade funcional, independência e estimulação domiciliar de prematuros frequentadores de creches


Introdução: O desenvolvimento infantil é resultado da interação de fatores biológicos e ambientais. Objetivo: Verificar e comparar a Capacidade Funcional, a Independência e a Estimulação Presente no Ambiente Domiciliar de prematuros entre 18 e 42 meses, frequentadores e não frequentadores de creche. Métodos: Estudo transversal com amostra de conveniência de 26 prematuros entre 18 e 42 meses, pareados e divididos em frequentadores e não frequentadores de creche. Os dados foram coletados a partir do AHEMD-SR, do PEDI e de um questionário de identificação. A análise foi realizada por meio de estatística descritiva e testes Qui-quadrado, Fisher, Mann-Whitney e Análise Univariada, com nível de significância de α = 0,05 e tendência de diferenciação α < 0,1. Resultados: No AHEMD-SR, houve diferença significativa na Variedade de Estimulação (p = 0,036), maior para não frequentadores de creche, e tendência nos Materiais de Motricidade Grossa (p = 0,086), mais disponível para os frequentadores. No PEDI, na Assistência do Cuidador houve diferença significativa no Autocuidado (p = 0,045) e tendência de diferenciação na Mobilidade (0,068), melhor entre os frequentadores de creche. A amostra apresentou baixas oportunidades de estimulação no domicílio em relação a Materiais para Motricidade Fina e Grossa e altos percentuais de atraso nas Habilidades Funcionais (Mobilidade) e na Independência (Autocuidado e Mobilidade), principalmente nos que não frequentavam creche. Conclusão: A creche parece interferir positivamente na Capacidade Funcional e na Independência de nascidos prematuros entre 18 e 42 meses de idade.


Keywords: Desenvolvimento Infantil. Prematuro. Meio Ambiente. Creches.



Texto completo em PDF