Fisioterapia em Movimento
article

ESTUDO DA PREVALENCIA DAS ENFERMIDADES DO CASCO EM OVINOS, NO PRIMEIRO PLANALTO DO PARANÁ


Felipe Pohl de Souza  1
Felipe Weigert Pencai 2
Julio Cesar Barrichello Torres 3
Nicolas Ferst Sampaio  4

Medicina Veterinaria – CCAA
Introdução: As enfermidades do casco dos pequenos ruminantes constituem um conjunto de afecções com etiologia multifatorial, afetando camadas superficiais ou profundas dos dígitos. O sintoma mais evidente destas enfermidades é a dor e, em conseqüência desta, uma claudicação mais ou menos evidente. Esta situação dolorosa é apontada como uma das causas mais importantes de “baixos” níveis de Bem-Estar, esta é uma condição cada vez mais limitante para a introdução de produtos de origem animal em mercados exigentes. Objetivos: Conhecer a prevalência dos problemas podais em ovinos, no primeiro planalto paranaense de acordo com as estações do ano. Relacionar os problemas podais a perdas econômicas, na ovinocultura da região estudada. Classificar a gravidade e origem dos problemas podais em ovinos. Verificar se há alteração na incidência de problemas de cascos nas diferentes estações do ano. Correlacionar se possível, o nível de Bem-Estar Animal com a saúde podal dos animais. Método: Foram escolhidas 5(cinco) propriedades para a realização do levantamento, com um rebanho de no mínimo 50 (cinqüenta) ovinos. As propriedades estavam localizadas nos municípios de: Bocaiúva do Sul, Quatro Barras, São José dos Pinhais e Campo Largo. Os rebanhos sofreram quatro inspeções ao logo do ano, sendo uma em cada estação do ano. A primeira etapa do exame foi a observação, onde se identificaram os animais com claudicação. Após a inspeção todos os animais foram examinados individualmente, segundo o método descrito por Rimbaud . Resultados: Foram realizados 1410 exames em 352 animais, o percentual de animais com problemas foi: 18,15%; na primavera, 25,56% no verão; 16,77% no outono e 13,41 no inverno e a incidência de claudicação foi respectivamente: 1,49%, 3,08%, 1,97%, e 2,01%. Segundo o método de comparações múltiplas de Bonferroni, não há diferença significativa entre as estações do ano. O principal problema encontrado foi o crescimento excessivo de ponta, borda e talão. Conclusão: Os resultados demonstram que nesta região os problemas podais não são severos e podem ser corrigidos com boas práticas de manejo.


Palavras-chave: CV21



1 Orientador
2 Bolsista PIBIC PUCPR
3 Colaborador
4 Colaborador

Texto completo em PDF