Fisioterapia em Movimento
article

ESTRESSE DURANTE O TRANSPORTE DE JUVENIS DE JUNDIÁ Rhamdia quelen SOB DIFERENTES DENSIDADES


Paulo César Falanghe Carneiro 1
Pedro Henriques da Silva Kaiseler 2
Elaine de Azambuja Correia Swarofsky 3
Lorena Carla Lantas 4
Daniana Sousa 5

Medicina Veterinária - CCAA
Introdução: O transporte de peixes vivos é uma prática comum em aqüicultura, sendo considerado um agente estressor e, como tal, passível de provocar efeitos deletérios para a saúde do animal e inclusivé a sua morte. Objetivos: O objetivo deste trabalho foi documentar a amplitude de algumas respostas fisiológicas do Rhamdia quelen ao estresse provocado pelo transporte sob diferentes densidades. Método: Juvenis de Rhamdia quellen foram transportados em embalagens plásticas durante quatro horas em quatro diferentes densidades (75g/L, 150g/L, 250g/L e 350g/L), e posteriormente tranferidos para 16 caixas plásticas de 80 L integrantes de um sistema de recirculação composto por filtros mecânico e biológico, aeração e controle de temperatura. Foram efetuadas coletas de material biológico em quatro momentos distintos de forma a avaliar as respostas fisiológicas de estresse, bem como, sua recuperação após 24 e 96 horas. Amostras de água foram coletadas nos períodos inicial e chegada, sendo analisadas as seguintes variáveis: oxigênio dissolvido, temperatura, pH, e amônia total. Resultados: Foi observado aumento nos níveis de amônia na água em todos os tratamentos. No sangue foram analisadas as variaveis glicemia, hematócrito, cortisol, cloreto e amônia plasmática. Foi efetuada contagem diferencial de leucócitos a partir de extensão sanguínea. Comparativamente com a coleta inicial, aumentos substanciais (P<0,001) nos níveis de cortisol e glicose foram verificados em todos os animais avaliados á chegada, sendo que, as diferenças entre tratamentos acompanharam o aumento das densidades testadas. Conclusão: Pelos resultados obtidos no presente trabalho, considera-se desaconselhável o uso da maior densidade estudada (T4, 350g/L) para o transporte de juvenis de jundiá. A melhor densidade para transporte desses animais em embalagens plásticas por período de 4 horas, considerando-se ainda o maior número de animais por unidade de volume, parece situar-se entre 75g/L (T1) e 250g/L (T3).


Palavras-chave: CV23



1 Orientador
2 Bolsista CNPq
3 Colaborador
4 Colaborador
5 Colaborador

Texto completo em PDF