URBE - Revista Brasileira de Gestão Urbana
article

URBE - Revista Brasileira de Gestão Urbana, v.9, n.1, 2017.

Ocupação urbana, redes sociais e territorialização da resistência: o caso de Aparecida de Goiânia, Brasil


Sandro de Oliveira Safadi

É assumindo a cidade como o lócus fundamental das tensões contemporâneas que as análises aqui presentes se sustentam. O itinerário investigativo buscou explicitar como a cultura urbana, entendida como movimento cotidiano central das cidades, estabelece com a paisagem uma relação de resistência à dinâmica global que penetra os lugares. O objeto de estudo em questão é Aparecida de Goiânia, cidade partícipe da Região Metropolitana de Goiânia, no Estado de Goiás. O estudo se debruçou sobre as materialidades culturais que são percebidas na paisagem de Aparecida de Goiânia, entrelaçando apontamentos teóricos e conteúdos obtidos por meio de entrevistas e questionários realizados com atores sociais diretamente envolvidos com a cultura não oficializada. Entre março de 2013 e julho de 2015, identificaram-se mais de 300 grupos/artistas e cerca de 80 entidades e 70 locais que dinamizam sistematicamente a cultura no município de Aparecida de Goiânia. Agregaram-se ainda à pesquisa empírica 121 grupos e artistas que possuem perfis em redes sociais digitais, extraídos do universo identificado. A análise, portanto, permeia também o modo como essas redes fomentam mecanismos de fortalecimento da dinâmica cultural no processo de configuração das materialidades presentes na paisagem. Essas materialidades/objetos absorvem os fluxos de racionalidades locais produzidos pelos indivíduos e pelos grupos organizados; assim, com a participação nas referidas redes sociais digitais, estimula-se o pertencimento e fundam-se territorialidades resistentes na cidade.


Palavras-chave: Cultura urbana. Redes sociais digitais. Territorialização da resistência.


Urban occupation, social medias and the resistance territorialization: the case of Aparecida de Goiânia, Brazil


The analyses here proposed are based on the assumption of the city as the fundamental locus of contemporary tensions. The investigational itinerary tried to explain how the urban culture, considered the central move that daily takes place within the city, establishes with the landscape a relation of resistance against the global dynamics that penetrates places. The object of our study is Aparecida de Goiânia, a city comprised in the metropolitan region of Goiânia-GO. This study has leaned over the cultural materialities perceived in the landscape of Aparecida de Goiânia, intertwining theoretical approaches and contents gathered through interviews and questionnaires carried out with social actors directly involved in non-official culture. Between March 2013 and June 2015, more than three hundred groups/artists were identified, and about eighty institutions and seventy venues that systematically stimulate cultural life in the municipality of Aparecida de Goiânia. We have also added to the empirical research, one hundred and twenty one groups and artists who have profiles in digital social medias. The analysis, in this case, also permeates how digital social medias foster mechanisms of strengthening the cultural dynamics in the process of the lascape’s materialities configuration. This materiality, objects, absorb the flows of local rationalities produced by individuals and organized groups, that the participation in these digital social medias encourage belonging, building territorialities resistant in the city.


Keywords: Urban culture. Digital social medias. Territorialization of resistance.



Texto completo em PDF